Neste Verão seja prudente, perceba que as águas dos rios, e as águas dos poços, o que têm de magnificas têm de perigosas, neste verão usaremos a nossa página para noticiar e para falar um pouco sobre os locais que são os mais cobiçados pela população pela sua proximidade com a estrada, é importante que as pessoas tratem estes locais como esses esses locais tratam as pessoas, transmitindo harmonia e felicidade.

   Nesta rubrica da minha assinatura poderia começar pelas habituais Fechas de Barjas, expoente máximo do Parque Nacional em matéria de poços e fechas, a rainha aquática de qualquer Verão bem passado principalmente para os urbanos que aqui vêm das cidades do Norte do País, muitos que estão esporadicamente em férias, ou nos distintos fins de semana solarengos. Vamos começar pelo Rio Toco, pelo rio Fafião para os habitantes da aldeia aqui ao lado. Todos os anos este local se enche  de turistas e habitantes pelo seu considerável número de poços e fechas e dada claro está a sua localização, junto à estrada, mas desenganem-se aqueles que pensam, que o toco está no mesmo estado que as Fechas de Barjas, ao abandono, porque não está.

   O Rio Toco está cuidadosamente preparado para receber as pessoas, há locais devidamente acondicionados para colocação do lixo, o próprio rio não é, sejamos realistas tão abrupto a acidentes como as Fechas de Barjas perdendo porém um pouco da sua espectacularidade, o que torna mais atractivo para pessoas cujas idades voem entre os 30 e os 70.

   Não poderia falar do Rio Toco e do seu verão sem referir algo que considero realmente importante nesta região, e que o há noutras regiões e que por sinal se perdeu para os lados de Montalegre. Um bar de apoio a estas piscinas, um contra senso diriam vocês para quem ama a Natureza, mas não o é. Se pensarem bem, acaba por ser sempre a face da estrada que estes bares são cuidadosamente colocados, normalmente são da própria população das aldeias inerentes, o que significa que são os grandes senão os únicos responsáveis pela conservação destes nichos do Turismo. Em Fafião é assim, e o Bar Cabana do Pastor a cargo da Fafiota Marlene Araújo é um dos marcos históricos do Rio Toco, cuja limpeza normalmente no final do Verão fica a cargo das populações, algo que não é muito exagerado, porque é um local extremamente civilizado.

   Se procura um local calmo para este Verão, onde possa esticar um pouca as pernas, sem sair muito da berma da estrada, porque não o rio Toco, quanto mais não seja para se sentar na explanada da Cabana do Pastor que está devidamente alinhada com a natureza e usufruir de um refrescante dia.


 

Comentários