Bem vindos ao Espaço Fotográfico do Luís Ferreira, desde bastante cedo dotado para a aventura, algo que lhe está de nascença no sangue. Designer e fotógrafo de profissão, este jovem de 35 anos usa as suas habilidades para divulgar as diferentes culturas e ambientes que fotografa. Apostado em fazer da conservação da Natureza uma fortíssima bandeira numa demanda pessoal e onde através dos meios de informação tem sensibilizado a população portuguesa, como é exemplo a National Geographic Portugal, onde colabora já desde 2011. o Luis é desde 2017 um elemento da equipa de lideres da Nomad, cuja viagem à India será o seu portal para quem sabe voos mais altos. Apaixonado pelo Gerês, a comunidade achou que deveria colocar aqui em amostra alguns dos seus fabulosos trabalhos fotográficos que tal como todos os fotógrafos que aqui expomos traz uma alma diferente ao Parque Nacional.


CotosPitões das Júnias

Este é um grande registo do Luís, fotografia tirada das Gralheiras, com Pico da Carvalhosa bem lá ao fundo ao centro. Os maciços desta parte Este do Parque Nacional são os mais agrestes, com os formatos mais aguçados dada a sua região ser extremamente ventosa com invernos demasiadamente agressivos. Na fotografia percebemos que está presente outro grande fotógrafo e amigo da nossa comunidade, o Luis Borges obtendo o vislumbre da serenidade da Serra de um desses cotos.


DebandadaReino da Pyrenaica

Com este registo potencializamos aqui o portfolio do Fotógrafo Luís Ferreira conseguindo ter a perceção do que é um rebanho selvagem da única espécie que apenas pode ser vista no Parque nacional, a Capra Pyrenaica, ou Cabra Selvagem. Pode-se dizer que a passagem do Luís pelo Parque Nacional foi pela região mais agreste, zona de Montalegre.


Como um Pássaro ? Agressividade

A vista que obtemos através de um drone sobre as cordilheiras do Gerês são fabulosas, especialmente em regiões como esta, lá ao fundo vemos a barragem da Paradela, um pouquinho de pitões verdejante do lado esquerdo e do extremo direito o caminho que leva à Fonte Fria, um dos maiores ícones do Parque Nacional e mesmo uma das maiores montanhas do Gerês.


EquilibrioNo Reino das Pyrenaicas

Como se não houvesse chão por baixo com ângulos extremamente árduos até para o olhar, esta espécie trepa aos locais mais recônditos, e se a habilidade falhar pode ser fatal nestes locais por onde elas se movimentam. Cada vez mais abundante sobre todo o Parque ficamos a saber recentemente que já cruzaram em várias passagens, e que hoje, as conseguimos encontrar do extremo este ao extremo oeste do Parque. Por isso, a todos os apaixonados de montanha, cujas incursões são pelo interior das Serras do Parque, em zonas acidentadas, a probabilidade de as encontrarem é enorme.


Chamamento Primaveril ? Sem camuflagem

Mais uma das espécies que em plena primavera nos brinda com a sua presença, a lente do Luís Ferreira mostra aqui a sua sensibilidade. Agradecemos estes fantásticos registos do Parque Nacional da Peneda-Gerês aos olhos do Luís, uma visão bem interessante para se juntar a algumas outras que escolhemos.


FloraPassagens de Estação

Grande registo mais uma vez da sensibilidade do Luís para a fotografia, nitidamente de alguém com um argumento extremamente forte na conservação da Natureza. O melhor do Parque Nacional está na forma como a Fauna, a Flora, e mesmo o ser Humano conseguem habitar em perfeito equilíbrio desde sempre, mas para isso e através dos meios de comunicação social bem como através das redes sociais temos que continuar a não permitir que se destrua.


 

Comentários