O montanhismo leva a uma procura insaciável pelos locais mais bem guardados dos Parques Naturais, a vontade de chegar mais longe, de querer ao final de uma boa extensão de território vislumbrar algo que fique na retina. Normalmente, para os lados de Montalegre na freguesia de Cabril os montanhistas, trekkers e audazes aventureiros procuram os cumes das montanhas mais altas e arriscadas, cujas subidas ingremes servem de desafio para levar uma história para casa. São exemplo disso a Surreira, o Borrageiros, a Rocalta, os Chamiçais, as Lajes dos Bois e dos Infernos, bem como uma série de maciços para lá dos Carris. Mas a Serra do Gerês também incute dificuldade nos percursos que sobem ou descem entre as corgas, ou pelos rios, muitas vezes de rocha em rocha ao longo de extensões de mais de 15km. É nesses vales profundos que contornam as montanhas que estão os chamados Poços, nome dado pelos Geresianos para definir as lagoas. Alguns azuis, outros verdes e de água indubitavelmente puras e cristalinas, acabam por oferecer a quem os cruza a aventura rápida de um dia, que é gratificada com a imagem que levam para casa, e no caso de um dia de calor, uns bons mergulhos. Este é o Poço Azul de Cabril, idêntico ao da Ermida com uma refulgente fecha, acomodada entre as laterais dos maciços do Alto dos Chamiçais e da Laje dos Bois. Deixamos aqui um video para quem não o pode visitar, e para quem tenha a vontade de um dia o fazer, sempre, claro, com precaução e respeito pela Natureza, este encantado local fica bem para dentro do Parque Nacional da Peneda-Gerês.


 

Comentários