Poços Verdes de Cabril 💧💧

Sete Lagoas do Gerês


O Guia Definitivo;

Para Usufruir de um Dia em Pleno nos Poços.

   Se é daqueles que adora piscinas, mas cujo destino foi o Gerês, e deu de caras com este colosso natural, e pretende acima de tudo divertir-se com todo o cuidado, e como é óbvio, quando terminar, levar toda a tralha que para lá levou de volta para casa INCLUINDO o LIXO, para que não fique para os habitantes de Cabril ou outras pessoas civilizadas então sim, é bem vindo em Cabril, e como é óbvio no Parque Nacional da Peneda-Gerês, e como sabemos de antemão que como seguidor desta comunidade sabe comportar-se então, este é um Guia para si, para escolher o local que melhor se adequa nesta sua visita às Sete Lagoas de Cabril. Ah! E não se esqueça, café da manhã é no fabuloso pão quente de Cabril, para quê arriscar levar o pão de casa e os bolos quando podem lá chegar já secos e sem graça, temos que pensar que Cabril gosta de o receber e o tal café da manhã terá um sabor especial se for na terra para onde vai. Pronto, agora sim, está apto, depois de me aturar, para conhecer as dicas que a nossa comunidade preparou para si:


  • 1 – Este é o Poço Número 1 de Cabril, começando a contagem de forma descendente, o mais estreito, no entanto o único que fará lembrar uma piscina dado o seu formato rectangular. Normalmente neste poço a disposição dos veraneantes é por uma das laterais, normalmente tem uma cascata artificial causada pela água que vem da mini hídrica que habita o local. É bom para nadar, é bom para mergulhar no entanto sem grandes plataformas para quem gosta de saltar. O acesso a este poço não é fácil, e por isso normalmente mais acessível a jovens que vêm em pequenos ou grandes grupos.

  • 2 – Este é o segundo dos poços verdes, provavelmente o mais atractivo, encontra-se num local de fácil acesso e permite uns mergulhos em altura significativa. Há lugar para estacionar a sua toalha de banho, mas prepare-se porque o sol aqui vai queimar a sério o dia todo, como é possível ver na fotografia faz uma espécie de zona protegida o que se torna negativo em dias de calor excessivo é um oasis para dias de vento excessivo. A água deste poço é quase sempre corrente tornando-o num dos mais límpidos e ao mesmo tempo dos mais, como é óbvio, frios…

  • 3 – Este é o terceiro Poço, é um dos mais frequentados a par do quarto. É extremamente pequeno e pouco profundo, o seu acesso é o mais fácil o que o torna um dos mais cobiçado durante o verão, nota de destaque para ser o que melhor localização tem para se estar a sombra dado o arvoredo envolvente nas suas duas laterais, curiosamente na lateral superior esquerda da fotografia está o local onde melhor cobertura de rede existe, sim, nos poços verdes é raríssimo existir rede móvel.

  • 4 – O quarto poço, tal como o primeiro são dos que apresentam menor grau de dificuldade, normalmente caminheiros e veraneantes com menores aptidões físicas acabam por aqui ficar, é no entanto um autentico Jacuzzi, a água aqui pouco passa, no entanto é o poço janela sobre os outros restantes porque dá para se debruçar sobre uma das suas extremidades apreciando a vista.Este é o mais cobiçado dos poços de cima, para aproveitar este jacuzzi vai mesmo ter que chegar às Poços Verdes bem cedo.

  • 5 – Este é o famoso poço da Sara Sampaio, ao contrário do que normalmente dizem, as fotografias foram retiradas neste poço quando o visitou. É profundo dando para mergulhos frontais, alguns conseguem até usar o escorregão curto que oferece, no entanto de ressalvar, normalmente os veraneantes vêm com os miúdos mais novos para este local, o que não aconselhamos. Este poço pode parecer inofensivo mas no entanto é uma armadilha para os mais desatentos, tem proporcionado uma grande percentagem dos acidentes que ocorrem neste local, na parte superior direita da fotografia é possível ver claramente um desnível que é usado como passagem do quarto posso para este, e essa parte é perigosa, queda aqui dá direito a entorse provavelmente e respectivo tombo na água.

  • 6 – Para chegar a este poço é mais complexo, várias foram as quedas originadas numa das suas passagens, é possível aceder à sua lateral através de um corredor estreito, este é para muitos o melhor de todos os poços pois é dos mais fundos e permite mergulhos de altitude contendo uma espécie de plataforma de salto em duas das suas posições, há ainda quem experimente uma terceira posição, mais arriscada claro, mas num spot de verão como este os visitantes gostam de experimentar de tudo. Quem aqui chega de manhã, percorrendo o corredor estreito pode ganhar um dos melhores spots para passar o dia, tem a melhor visão sobre os poços de baixo sendo este o último da parte de cima.

  • 7 – O Poço mais temido, é para alguns o término, dado que é o sétimo ou a sétima lagoa do Gerês, sendo o primeiro da parte de baixo dos Poços, é o mais fundo e o que tem menos adesão por parte dos veraneantes, o seu formato côncavo numa das laterais não permite ao Sol na sua rotação permanecer durante muito tempo efectuando sombras tenebrosas e escuras, é também o local escolhido normalmente pelas cobras de água para fixarem residência. Reza a lenda dos Poços Verdes que muito de vez em quando destemidos  rapazes de Cabril aqui vêm para mostrar o que são mergulhos efectuando uma queda livre de mais de 7 metros sobre o poço.

  • 8 – A partir daqui o nome 7 lagoas do Gerês deixa de fazer sentido, passando apenas a Poços Verdes de Cabril, é um dos mais procurados spots para o Sol, tendo uma boa plataforma para isso, no entanto não é o melhor para descansar porque é um dos mais divertidos, contém um fabuloso escorregão que quem conhece não deixa passar a hipótese para uma próxima vez, é também um dos mais intrigantes, porque se faltam peixes em quase todos os poços este é o que mais habitantes aquáticos contém, incluindo claro, a rã ibérica que é inúmeras vezes aqui avistada.

  • 9 – O nono poço é um dos mais belos, um dos mais sossegados, a sua localização é na parte de baixo dos poços, e ficando após uma curva acaba por esconder e até por gerar confusão visual a muita gente na despedida. Normalmente escapa à maioria das pessoas e é frequentado mais até por habitantes de Cabril ou caminheiros em busca de paz. É bom para mergulhos frontais porque é relativamente fundo e tem uma plataforma que em tudo faz lembrar uma prancha. As suas laterais são tremendamente belas misturando castanhos com as cores das águas como não visto em outro poço.

  • 10 – Sem grandes atractivos é talvez o poço menos interessante de todos os Poços verdes, é frio porque recebe um ribeiro na sua lateral, marca aqui talvez a mudança de água na sua vertente mas no entanto é calmo, e óptimo para descanso como o nono, tem uma excelente visibilidade para a paisagem que vai abrindo a sul na fase descendente dos poços.

  • 11 – Recebendo a água do décimo poço este é um dos mais frios e no entanto para quem gosta de fotografia e de beleza natural uma autêntica montra do que será possível vislumbrar daqui para a frente, normalmente é o responsável por aliciar os aventureiros a continuar a descer infinitamente o curso do rio Cabril e a encontrarem porventura locais idílicos.

  • 12 – O ultimo poço verde de cabril, é um excelente local de repouso, tem uma árvore fantástica como podem observar na fotografia e uma espécie de ilha por onde a água passa nas suas duas laterais, criando um local de repouso ímpar onde é possível ouvir o barulho das águas a correr quase junto ao ouvido, as suas águas são estranhas no entanto e pouco convidativas a banhos comparativamente com os restantes poços, aqui as cores tigradas variam entre verdes e acastanhados em rasgos, é extremamente fria a água e com relativa profundidade, embora não convide também a mergulhos. Estrategicamente este poderá ser o local de opção caso o calor aperte mesmo a sério e quando não circunde brisa absolutamente nenhuma, embora como tudo, tenha o seu contra em ser de facto o mais distante de todos os poços.

 

Comentários