Os Poços de Fafião

   Agora que o Verão fez escala para ficar, o nosso Parque Nacional vibra ao som da água que corre aqui e ali de forma menos ou mais violenta. Fafião após a candidatura às 7 Maravilhas nas categorias de Aldeias Protegidas e de Aldeias Remotas tem-se vindo a desenvolver de forma intrínseca no turismo sustentável de Natureza.

   Quebrando com os hábitos nacionais de colocação de chapas pelas cidades, vilas e aldeias que urbanizam e descaracterizam os espaços, Fafião optou por alterar as suas placas de indicações e ao mesmo tempo de condicionar em terrenos baldios que pertencem à Aldeia o acesso de veículos, uma iniciativa que visa travar a incidência Natural.

   Com uma ligação forte ao Lobo Ibérico, que se tornou também no marco da Aldeia, Fafião tem uma panóplia de opções para quem quer desfrutar neste verão da paz e do sossego, respeitando a natureza e fugindo do turismo de Massas que tomou conta de regiões como a Caniçada ou Campo do Gerês.

   Os Poços de Fafião são vastos e extendem-se entre dois conhecidos corredores, o Rio Toco ou Rio Fafião e o Rio Conho, um deles, que nos transporta para a  fronteira com a Ermida, e para um dos locais mais famosos no Gerês, o Poço Azul. E finalmente, o rio com o nome da própria aldeia, que sustenta uma quantidade infindável de Poços e fechas de todas as cores que referimos aqui, dotados para serem visitados com alguma dificuldade nos percursos, e de preferência com o uso de guias turísticos que conheçam não só as suas passagens como o que é necessário para transpor alguns obstáculos. Aqui deixamos algumas das fotografias que irão encher o olho este verão.

Por isso já sabe, se o seu intuito é ficar numa casa rústica, conhecer uma agradável população que vive em comunitarismo e desfrutar de um ou dois poços em segurança e sem massificação do espaço, então Fafião será a sua melhor opção para esta época balnear.

Poço no Rio Fafião/Toco.

Piscinas ou escorrega da Touça próximas do Curral da Touça.

 Poço no Rio Fafião/Toco.


 

Comentários