O Poço Azul de Cabril

 Certo dia nos embrenhamos pela serra do Gerês com o intuito de conhecer uma das suas zonas mais escondidas, e sem querer, após uma grande caminhada de rocha em rocha, num traçado sempre a subir, este foi o primeiro espectáculo com que nos deparamos, o Poço Azul de Cabril. Nunca foi hábito da nossa Comunidade de espalhar as coordenadas, não faz sentido quem não conhece a montanha, quem nunca explorou, que tenha acesso a uma coisa que se ganha aptidão com o tempo para encontrar.

   Para exploradores e caminheiros, a Corga do Sobroso tem sido um dos mediáticos locais Geresianos de maior afluência, talvez porque o seu formato de quarto minguante afunilado entre o Alto dos Chamiçais, a Laje dos Bois e a Laje dos Infernos transforme este vale profundo num corredor rápido para as águas que apressadas e vindas de inúmeras direcções fazem de um dos afluentes do Rio Cabril, autêntico Parque Aquático.

   Em terras de Cabril, onde reinam normalmente os Poços Verdes é curioso encontrar uma zona onde predominam poços de cores diferentes que normalmente encontramos pela região da Ermida e de Fafião.

 

 


 

Comentários